segunda-feira, 29 de maio de 2017

Escola fechada deixa de atender mais de 170 crianças em Porto Alegre

Foto Arquivo
Em mais um descaso com a Educação em Porto Alegre, a gestão tucana de Marquezan mantém uma escola infantil nova, fechada. Inaugurada em dezembro do ao passado, a EMEI Santo Expedito, localizada no bairro Rubem Berta, zona Norte da cidade, está deixando de atender mais de 170 crianças da região.
Foto Gabinete
Chamada pela comunidade, a vereadora Sofia Cavedon (PT), integrante da Comissão de Educação da Câmara Municipal, reuniu-se com mães de 93 crianças já matriculadas na Escola. “A EMEI continua fechada ainda porque a SMED não provê de profissionais! Éum belo prédio do pró infância, mobiliado, com brinquedos e chega o meio do ano sem atender as crianças. Vamos à luta”, afirma a vereadora.

Foto Arquivo
Conforme Sofia já está agendada para o dia 09 de Junho (Sexta-fera), às 10h, audiência com a Dra. Danielle Bolzan Teixeira, Promotora de Justiça da Infância e da Juventude do Ministério Público. “Também estamos solicitando a Comissão de Educação, Cultura, Esportes e Juventude (CECE) uma visita à escola e a Secretaria Municipal d Educação uma reunião com o Secretário”, informa a parlamentar. Sofia também irá apresentar uma Indicação ao Prefeito, de votação em plenário, para contratação de professores e monitores. A comunidade escolar da região irá ainda solicitar uma Tribuna Popular na Casa Legislativa para apresentar às e aos vereadores/as a situação.

Foto Arquivo
Segundo informações passadas no encontro a prefeitura precisa contratar cinco professores e sete monitores para que sejam garantidas as vagas na EMEI. Atualmente a escola atende apenas 50 crianças do Jardim, em turno reduzido, sendo que sua capacidade, além das turmas de jardim, é para mais três turmas de maternal e dois de berçário, ambas em turno integral.

A EMEI Santo Expedito tem capacidade para atender a 171 crianças entre 0 e 5 anos e 11 meses, em turno integral. O investimento total foi de R$ 1.497.090,41, com recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e da prefeitura.

Veja também:
Escola fechada: crianças estão há mais de um mês sem aula