segunda-feira, 29 de maio de 2017

Greve de mães e pais nas escolas municipais - Precisa isso para serem ouvidos Prefeito?

Foto José Porto
Comunidades fecham escolas contra a imposição da nova rotina escolar

A nova rotina imposta pelo governo reduziu tempo das crianças nas escolas, tempo e qualidade da alimentação e tempo de Planejamento. Qual o objetivo mesmo? Greve de mães e pais nas escolas municipais! Precisa isso prefeito Marquezan, para serem ouvidos? ”, questiona a vereadora Sofia Cavedon (PT) que esteve pela manhã na EMEF Aramy Silva ouvindo a comunidade.

Reunião com Secretário e mães, pais e direções

Foto Simpa
A vereadora Sofia, acompanhando a comunidade, solicitou ao Líder do Governo que fosse marcada a audiência entre Secretário  Municipal de Educação com as mães, pais e direções sobre a rotina, juntamente com as e os vereadores/as, decidida em reunião do Colégio de Lideres da Casa Legislativa. O encontro será na segunda-feira, dia 12, às 10h, no Salão Adel Carvalho, da Câmara Municipal. “Conquista da mobilização de hoje”, afirma Sofia.

Sofia destaca ainda que na contra proposta elaborada por direções e pais/mães de escolas, ao contrário do que o Secretário e Prefeito afirmam, há uma ampliação na carga horária do aluno com os seus docentes.

Confira no quadro comparativo organizado para apresentação ao Governo Municipal:
Protesto

Na manhã desta segunda-feira (29), mães e pais de alun@s fecharam 12 escolas municipais protestando contra as mudanças propostas pelo prefeito Nelson Marchezan Júnior que alteram a rotina escolar.

Foto Simpa
Escolas que fecharam:

EMEF José Loureiro da Silva
EMEF Aramy Silva
EMEF Heitor Villa Lobos
EMEF Lidovino Fanton
EMEF Leocádia Felizardo Prestes
EMEF Prof. Gilberto Jorge Gonçalvez da Silva
EMEF Rincão
EMEF Gabriel Obino
EMEF Prof. Anísio Teixeira
EMEF Campos do Cristal
EMEF Saint Hilaire
EMEF Vila Monte Cristo