domingo, 25 de junho de 2017

Eleição Cpers - Apoiamos a Chapa 2 - Cpers Unido e Forte

O mandato da vereadora Sofia Cavedon (PT) apoia a Chapa 2 - Cpers Unido e Forte - na eleição que ocorre na próxima semana

O Centro dos Professores do Estado do Rio Grande do Sul (Cpers) realiza nesta terça e quarta-feira - dias 27 e 28 de junho - eleições para definir sua nova direção estadual e as direções dos 42 núcleos regionais da entidade para os próximos três anos. De acordo com a comissão eleitoral do sindicato, são 82.923 professores e funcionários, ativos e inativos, sócios aptos a votar para definir se reelegem a atual gestão ou optam por uma das três chapas de oposição.

Serão colocadas urnas em todas as escolas da rede estadual, com exceção de algumas com difícil acesso, que terão urnas volantes, e nas sedes dos 42 núcleos regionais do sindicato, que contarão com urnas eletrônicas. Ganha a eleição a chapa que fizer acima de 35% dos votos no primeiro turno. Caso nenhuma atinja esse patamar, será realizado um segundo turno em data a ser definida. O resultado deve ser divulgado até o dia 29, segundo Nilza de Souza Schebella, presidente da Comissão Eleitoral do Cpers.

Posteriormente, será realizada a eleição para os representantes sindicais em cada escola, dos representantes municipais dos representantes dos aposentados e ainda dos representantes 1 por mil, que também irão compor o Conselho Geral e o Conselho dos Núcleos dos sindicatos. A nova direção deve assumir após a conclusão desse processo.

Chapa 2: Cpers Unido e Forte

Comandada pela atual presidente do sindicato, Helenir Aguiar Schürer, a Chapa 2 terá como principal pauta reafirmar o enfrentamento ao governo do Estado na questão financeira, defendendo o pagamento do piso nacional do magistério aos professores gaúchos e contra os projetos de ajuste fiscal encaminhados pelo Piratini à Assembleia Legislativa. “Queremos reafirmar o compromisso de transparência com as finanças do sindicato, que nós conseguimos hoje fazer com que o sindicato seja viável, com as contas tranquilas, e principalmente apostando muito na questão pedagógica, as mostras pedagógicas que nós fizemos foram fundamentais para a gente discutir a valorização e qualidade da escola pública e a luta que temos de reaproximação com os aposentados e funcionários de escola”, diz Helenir.

A atual presidente ainda defende que a mobilização do sindicato na atual gestão conseguiu que os funcionários de escolas fossem contemplados pelo Plano de Carreira e impediu que o governo aprovasse o fim do pagamento do adicional por difícil acesso, que atinge 69% da categoria. “Temos muito orgulho em dizer que fizemos a maior assembleia dos últimos 20 anos da categoria e a maior greve dos últimos 25 anos”, afirma. “Esta direção está aqui na Assembleia. Onde está a oposição aguerrida? Aqui não estiveram”, disse Helenir ao ser entrevistada nesta terça-feira.

Com informações do Portal Sul21.