quinta-feira, 13 de julho de 2017

Bancada do PT faz balanço de 6 meses de retrocesso - #PortoMenosAlegre

Foto Marta Resing
A Bancada Municipal do Partido dos Trabalhadores (PT) de Porto Alegre, junto com a Executiva Municipal, apresentou em um café da manhã com a imprensa nesta quinta-feira (13), o balanço de seis meses do (des)governo Marchezan na capital.

Retrocesso na gestão, autoritarismo e desrespeito nas relações com servidores/as e com a cidade foram destacados pela líder da Bancada, vereadora Sofia Cavedon. 

Foto André Rosa
Conforme o documento em seis meses de governo Marchezan Júnior (PSDB), Porto Alegre andou para trás. Inúmeros são os retrocessos que a população começa a perceber neste início de gestão tucana na Capital. A falta de diálogo, o autoritarismo e a truculência se tornaram as principais marcas do “novo jeito” Marchezan de governar. Os Conselhos Municipais de direitos foram desrespeitados e desconsiderados pela administração. As políticas de gestão não passaram pela avaliação dos conselhos e houve, inclusive, o despejo do local onde alguns deles funcionavam, caso do Conselho Municipal de Direitos da Pessoa com Deficiência.

No caso da saúde, o Conselho Municipal não foi ouvido sobre as mudanças propostas. O mesmo ocorreu com relação às mudanças, por Decreto Municipal, na área da educação.

Foto Marta Resing
O Orçamento Participativo foi cancelado e seu futuro enquanto instrumento de participação da população nas decisões da cidade está ameaçado. Além disso, as obras definidas pelo mesmo deixaram de ser programadas para ocorrer.

Além disso, a utilização indevida de espaços da prefeitura e atividades institucionais para a gravação de vídeos postados em redes sociais incitam o ódio ameaçando a tradição democrática da cidade.

Foto Marta Resing
Neste balanço, enfatiza Sofia, a Bancada do Partido dos Trabalhadores e o PT de Porto Alegre listam uma série de ações da nova gestão que colocam Porto Alegre na contramão da Democracia e da Participação Popular.

Participaram do encontro os vereadores Adeli Sell, Aldacir Oliboni, ex-vereadora Margarete Moraes, presidente do PT Municipal, Rodrigo Dilélio, representação do vereador Marcelo Sgarbossa (em licença), ex-prefeito Raul Pont e lideranças comunitárias.

Veja abaixo o documento: