terça-feira, 11 de julho de 2017

PT pede investigação sobre Marchezan

Foto PT-PoA
O Partido dos Trabalhadores solicitou nesta terça-feira (11/07) que o Ministério Público Estadual abra investigação contra o prefeito Nélson Marchezan Júnior por eventual prática de ato de improbidade administrativa. A solicitação foi encaminhada pelo diretório municipal do partido na capital.

Segundo a representação encaminhada, o prefeito estaria utilizando sua página pessoal no Facebook como um perfil oficioso da Administração Municipal para promoção pessoal e ataque a partidos de oposição, sindicatos, servidores municipais e pessoas públicas. Além de utilização de logomarca pessoal, ato vedado pela legislação a prefeitos, governadores e presidente, parcela das postagens publicadas são realizadas em horário de expediente, dentro de prédio público ou em atividade institucional, configurando a utilização da estrutura do Município de Porto Alegre.

Estudo realizado pelo partido indica que Marchezan, através de postagens que afrontam princípios da  Administração Pública, se utilizaria desse método para atuar no incitamento ao ódio político. Ao todo, foram identificadas aproximadamente 50 postagens nos últimos três meses com esse objetivo, a maioria direcionada a partidos de oposição, sindicatos, vereadores e, em especial a figuras públicas petistas. A agremiação questiona por exemplo vídeo ofensivo gravado pelo prefeito em espaço de propriedade do Município, no subsolo do Paço Municipal, onde há bastante tempo funcionava a cadeia municipal, afirmando que sempre que estava no referido local lembrava do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva. 

Além disso, teria recebido e gravado entrevista dentro do Paço Municipal em horário de expediente com um youtuber de extrema direita detido por agressão a servidores chamando seus opositores da "babacas", entre outros termos pejorativos. Ainda, diversas postagens do prefeito dão conta de sua intenção de gerar o ódio e a intolerância contra quem pensa diferente dele.

A representação foi apresentada pelo presidente do PT, Rodrigo Diláleio, e a líder da bancada petista na Câmara Municipal, vereadora Sofia Cavedon, diretamente ao Procurador Geral de Justiça Fabiano Dallazen. Solicita também que o MP examine as condutas de Marchezan e investigue a possibilidade de abuso de poder por parte do prefeito.