quarta-feira, 5 de julho de 2017

Segurança nas Escolas - Desmonte das políticas públicas é um dos principais fatores pelo aumento da violência

Foto Marta Resing
Em uma reunião longa e de relatos sobre a situação de violência nos entornos das escolas municipais e estaduais (localizadas na capital), realizada na tarde desta terça-feira (04) pelo Fórum de Segurança da Restinga na sede da Escola Municipal Pessoa de Brum, que viveu recentemente o drama com tiroteiros quase que diários, ficou transparente que o desmonte das políticas públicas é um dos principais fatores pelo aumento da violência na cidade.

Foto Marta Resing
A vereadora Sofia Cavedon (PT), que presenciou um dos tiroteios na escola e estava presente na reunião, também acredita que o foco hoje é motivado pelas várias ações de desmonte das políticas sociais e alterações impostas pelo governo Marchezan, como a nova rotina escolar na rede municipal deixando alunos/as na desacompanhados na frente das escolas durante a troca do período inverso (que também está sendo extinto das escolas) e reduziu o tempo de aula, e a as políticas públicas que a Fasc desenvolvia e agora não existem mais. Sofia também destacou o desmonte da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer, que em seus ginásios, praças e centros comunitários que realizava trabalhos de cultura e esporte para adolescentes em vulnerabilidade que hoje estão sem atividades.

Em todas as falas dos representantes de escolas, do conselho tutelar, de mães e pais, ficou evidente que esses projetos que estão sendo cortados pela Prefeitura estão levando a juventude a morrer ou a matar. 

Foto Marta Resing
No encontro algumas ações direcionadas foram informadas, como a ampliação da Guarda Escolar da Brigada Militar (ainda sem previsão no tempo), coforme disse o tenente-coronel Márcio Roberto Galdino, Comandante do 21º BPM; Já o secretário Municipal de Segurança, Wilson Abascal Pastorini, informou que, entre outras ações, serão conectadas as câmeras de segurança das escolas ao Centro Integrado de Comando da Cidade (CEIC) e que está tentando aumentar o efetivo da Guarda Municipal.

Foto Marta Resing
Apesar da representação da Smed ter saído no meio da reunião, após ter informado o que todos já sabiam, como a nomeação de 250 educadores/as, sendo que apenas 172 são professores/as, foram tirados vários encaminhamentos que culminarão com a realização de uma audiência pública para tratar da segurança nas escolas, com data a ser marcada e uma assembleia geral, que deverá ser em 15 de agosto, promovida pelo Fórum de Segurança da Restinga.

Também participaram da reunião a Brigada Militar, Polícia Civil, Guarda Municipal, Sindicato dos Municipários de Porto Alegre (Simpa), Associação dos Trabalhadores/as da Educação de Porto Alegre (Atempa); representantes da assistência social, do deputado estadual Nelsinho Metalúrgico (PT), representantes do Movimento Famílias da Educação Municipal e comunidade da Restinga.

Veja também:
- Mais um dia de tiroteio em frente à Escola Municipal Pessoa de Brum
- InSeguraça nas Escolas - Entrevista de Sofia Cavedon ao SBT|RS
- Famílias na luta pela Educação denunciam ao MP de Contas descaso com a Educação em Porto Alegre