sexta-feira, 16 de março de 2018

Jornada pela Educação - Sofia visita a EMEF Chico Mendes no início do ano letivo na capital

Foto José Porto
No segundo dia - Quinta,15 - do calendário escolar da Rede Municipal de Ensino de Porto Alegre, a vereadora Sofia Cavedon (PT), professora da Rede e membro da Comissão de Educação da Câmara, visitou a EMEF Chico Mendes, localizada no bairro Mário Quintana. Na quarta-feira (14), dia que as aulas começaram, Sofia esteve na EMEF Ildo Meneguetti, no bairro Rubem Berta (Veja matéria aqui).

Assim como na Ildo Meneguetti, a inconformidade dos e das professoras/es é com a imposição por parte da Secretaria Muncipal de Educação (Smed) do calendário escolar e ingerência na autonomia da gestão da Escola para definir os tempos de formação e de planejamento. E para agravar a a situação, a Secretaria também não presta assessoria e nem apresenta uma proposta para a formação e planejamento da docência, ressalta Sofia.

Outra determinação da Smed foi a integralização de uma turma de turno integral no 3º ciclo, a A10, que, devido a falta de professores/as estão sem aulas no turno da tarde. Além disso, informa a vereadora, a enturmação gerou uma classe de 45 alunos/as que não tem mesa e cadeira para todos/as. Na escola está faltando professores/as para 20h de Artes; 20h de Educação Física; professor volante para todo o 2º ciclo; 10h de Português e 10h de História.

Outra situação que preocupa a comunidade escolar da Chico Mendes é a segurança. Conforme Sofia, recentemente (08/Março) foi assassinado um jovem na frente da escola. "É uma comunidade bastante empobrecida e com muitas situações de violência, e a Escola, que atende nos três turnos - manhã, tarde e noite com EJA - ainda está com a câmera de vídeo do portão de entrada sem funcionar", diz Sofia.

Assim como na Ildo, a Chico Mendes também tem duas lousas digitais. Só que sem recursos nem para colocar a infraestrutura, as lousas continuam encaixotadas. Outros problemas também foram relatados para a vereadora como: dos dois pontos eletrônicos instalados, apenas um funciona: tem geladeiras estragadas; a rede elétrica está esgotada, não suportando nem mesmo a colocação de mais um microondas. Sofia lembra a necessidade dessa infra para a comunidade escolar, pois no entorno da escola não exitem restaurantes, tendo os e as professoras/es ter que levar a sua alimentação diária.

A EMEF Chico Mendes tem 1.189 alunos/as, 87 professores/as, estes sem sala de estudos - usam a sala de prpfessores/as para realziarem todas as suas tarefas fora de aula; a sala de Informática, que tem no máximo seis computadores funcionando, atende todos os alunos/as, e, para completar, o esgoto no pátio transborda. "A comunidade tentou consertar, mas não conseguiu, e o Governo não responde a demanda e nem disponibiliza recursos para a Escola fazer a obra", informa Sofia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ao postar seu comentário, por favor, deixe seu contato para que possamos retornar. Obrigada.