segunda-feira, 9 de abril de 2018

Jornada pela Educação - Sofia esteve na EMEF Pessoa de Brum

Em seu roteiro pelas escolas da rede municipal de ensino da capital  a vereadora Sofia Cavedon (PT) esteve na manhã desta segunda-feira, 09, na EMEF Vereador Carlos Pessoa de Brum, localizada na Restinga.

Coletando dados junto à comunidade escolar, Sofia informa que na Pessoa de Brum não é diferente das demais escolas que já visitou: aqui há carência de 18 professores/as, sendo que dois, de 40h, foram trabalhar na Smed chamados pelo próprio Secretário de Educação, e a escola já fechou o seu quadro no dia 12 de março, há um mês atrás e faltam 306 horas.

E o cumprimento das horas de planejamento individual somente na escola que impede o professor, a professora de fazerem pesquisa, de usar sua estrutura, seu computador? Se quer wi-fi tem na escola! A sala de informática está um caos, sem estagiário e a tal lousa digital nunca instalada, como nas demais escolas! Esta rede de ensino que já foi vanguarda na inclusão digital está em pleno retrocesso também nisso. Ainda tem a mudança imposta nos projetos complementares do currículo que eram oferecidos ali conforme os desejos e talentos dos estudantes, agora a Smed quer que os mesmos/as alunos/as façam todas as oficinas: música, letramento, robótica, etc. Reduz o número de estudantes contemplados, além de desconhecer características individuais e de super ocupar uns em detrimento dos outros, para quê? Contagem de turno integral, possivelmente, tem lógica? Que tempos duros e autoritários!, afirma a parlamentar.

Sofia também registrou outras situações graves como os remanejos absurdos que a Smed está fazendo, como a transferência de professores/as da Zona Norte para a Sul, tendo indicação da escola para professores/as da região. "Tem situações que levam duas horas para chegar ao trabalho. Que desgoverno é esse? A relação entre gestão e recursos humanos tem que ser mais humanizada", salienta a vereadora.

Na Escola as terceirizadas também não haviam recebido seus salários.

A vereadora tem visitado inúmeras escolas da Rede, e destaca que com os dados já coletados (não estão os dados da Pessoa de Brum) entrou com uma representação no Ministério Público Estadual: 36 professores de 20h são 720 horas por semana de professor desperdiçadas e já com as aulas iniciadas há três semanas.


Assista aqui a sua manifestação:

Sofia já esteve nas EMEFs Villa Lobos, São Pedro, Wenceslau Fontoura, Ildo Meneguetti, Chico Mendes, Grande Oriente e Aramy Silva.

#LutoPelaEducação  #LulaLivre

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ao postar seu comentário, por favor, deixe seu contato para que possamos retornar. Obrigada.