segunda-feira, 30 de abril de 2018

Jornada pela Educação - Sofia pede ao Ministério Público de Contas que investigue as escolas inacabadas e abandonadas em Porto Alegre

Foto Elisamar Rodrigues
Em audiência com o Procurador-Geral do Ministério Público de Contas (MPC), Geraldo da Camino, na tarde desta segunda-feira, 30, a vereadora Sofia Cavedon (PT) entrou com um requerimento solicitando ao MPC que tome providências para enfrentar a situação de desperdício de recursos públicos e de violação do direito à educação de centenas de crianças que não encontram vagas na educação infantil, enquanto existem obras paralisadas que poderiam amenizar a demanda por vagas nessa modalidade de ensino.

Conforme a vereadora que também se manifestou na tribuna da Câmara Municipal, além das quatro escolas por ela apresentada no requerimento, existem mais três na zona sul: “São pelo menos sete escolas infantis! Quantos milhões estão aí comprometidos do governo federal e não utilizados. Isso mostra a incapacidade de ação, de trabalho, de articulação política do prefeito Marchezan, que só chora e só quer atingir os servidores e servidoras. Mostre eficiência Prefeito responda por isso que é muito grave - faltar com a educação infantil e faltar com o cuidado do patrimônio público!".


Sofia já visitou cinco destas construções, “praticamente finalizadas” e paralisadas desde o final de 2016, e que lá viu depredação e dano ao que já foi executado. Afirmou que não se trata de falta de recursos, pois os mesmos estavam garantidos pelo governo federal e gravados para essa finalidade pelo Programa Nacional de Reestruturação e Aquisição de Equipamentos para a Rede Escolar Pública de Educação Infantil (Proinfância). Sofia disse ainda que a situação prejudica o atendimento de crianças entre zero e seis anos, especialmente entre quatro e seis, que o Município tem obrigação constitucional de abrigar na rede de ensino.

As escolas visitadas por ela estão localizadas nas comunidades do Mario Quintana, Jardim Leopoldina, Parque Santa Fé, Lajeado e Nazaré. Ainda outras duas, segundo a vereadora, no Parque Urubatã e nas Moradas da Hípica, estão nas mesmas condições.

Quadra da EMEF Gilberto Jorge

Sofia também está questionando outro problema constatado nas visitas da Jornada pela Educação às escolas da Rede Municipal que é a obra inacabada da quadra de esportes da Escola Municipal de Ensino Fundamental Gilberto Jorge, que permanece parada desde o final de 2016, sem possibilidade de uso.


Assista aqui a manifestação de Sofia: