sexta-feira, 22 de junho de 2018

Jornada pela Educação - Na Presidente Vargas faltam até cadeiras

Sofia convida as comunidades escolares para terça-feira, dia 03/7, às 14h30min, quando o Secretário Municipal de Educação estará na Comissão de Educação da Câmara Municipal. - Av. Loureiro da Silva, 255 - 3º andar).

"Pais e Mães confirmam o que venho dizendo há um tempo. Governo Marchezan não respeita o serviço público e ataca as carreiras dos/das que se dedicam a esse serviço como vimos aqui na Presidente Vargas".

A declaração é de Sofia Cavedon, professora e vereadora do PT da capital, que em sua 32ª visita pela Jornada em Defesa da Educação, esteve na manhã desta quinta-feira (22/6) na EMEF Presidente Vargas, localizada no bairro Passo das Pedras.

"Pasmem! Faltam 15 cadeiras na sala de informática da escola, com os/as alunos/as tendo que se revezarem para sentar e estudar e a atual gestão da Smed acha que isso não é prioridade, não consegue desburocratizar e adquirir 15 cadeias" salienta a parlamentar.

 Conforme Sofia a categoria também se encontra apavorada com os desrespeitos e ataques dos projetos do Prefeito que estão na Câmara Municipal.

Além disso, na Presidente Vargas falta professor/a de Português, a lousa digital também ainda não foi instalada, a Smed não apresentou nenhum projeto pedagógico e sem nenhuma proposta de formação. "Como Marchezan vai melhorar os índices da educação, que ele diz estar com problemas devido ao Ideb, impondo a rotina escolar e agora inventando um recesso que era em julho, para agosto, mas como assim?", questiona a vereadora.

Alimentação escolar

Outro problema apontado por pais e mães, que Sofia também já vem denunciando, refere-se ao modo como está sendo servida a merenda escolar, imposto pelo Secretário de Marchezan, "deseducando as crianças" como afirmam: "eles (direção da Smed e prefeito) não estão aqui na escola pra ver como funcionava bem antes. Pressionam os/as professores/as, impõem na marra abaixo de ameaças".

Sofia considera importante o depoimento dose pais e mães, "porque parece que o/a professor/a quer perder tempo com a alimentação do/da aluno/a e não dar aula. Foi isso que o Marchezan ficou falando pra população o tempo todo. Um absurdo, porque aprender a se alimentar também é uma educação fundamental... e o prefeito cortando a alimentação nas escolas...". Na Presidente Vargas o refeitório é pequeno e as crianças e adolescentes ficam todos juntos, enfileirados. 

Guarda Municipal

A questão da falta de Guarda Municipal, como na maioria da Rede e que também Sofia tem denunciado continuamente, é mais um problema na Emef Presidente Vargas. Conforme depoimento de pais e mães há falta de segurança na escola e no seu entorno, com os/as professores/as tendo que irem para o portão da frente da escola para fazer o trabalho da Guarda Municipal, que Marchezan tirou para colocar no centro da cidade a fazerem o trabalho da Brigada Militar e para reprimir o/a servidor/a.

Assista aqui:

Jornada pela Educação

Em sua Jornada em defesa da Educação Sofia Cavedon já esteve nas EMEFs Villa LobosSão Pedro 1 e 2Wenceslau FontouraIldo MeneguettiChico MendesGrande OrienteAramy SilvaPessoa de BrumMariano BeckNeeja Darci VargasNossa Senhora de FátimaEEEF Marechal Mallet, Victor IsslerRaul Cauduro (Inacabada), Gilberto JorgeCreche Antonio SeverinoEMEF Martim AranhaEMEF José Loureiro da SilvaEMEF Vila Monte Cristo e Moradas da Hípica (Inacabada), EMEF Profª. Ana Íris do AmaralEMEF Lauro RodriguesEMEF Sen. Alberto PasqualiniCreche Maria de Nazaré 2 (Mario Quintana), Creche Mãezinha do Céu (Asa Branca), EMEF Afonso Guerreiro LimaEMEF Pepita de LeãoEMEF Vereador Antonio Giudice e Escola Infantil do Instituto de Educação General Flores da Cunha (IE).

Acompanhe aqui a Jornada em defesa da Educação.