sexta-feira, 29 de junho de 2018

Seminário de formação reúne vereadores e vereadoras do PT na Capital

Foto Ronaldo Quadrado
Rosseto vai enfrentar o Sartori que destrói o RS e desmascarar o Leite que vem de bom moço, mas é o Marchezan para o Estado! #JuntosNessaJornada por #LulaLivre e pro Brasil voltar a ser feliz! - Sofia Cavedon 

O Partido dos Trabalhadores do Rio Grande do Sul reuniu, nesta sexta-feira (29), em Porto Alegre, vereadores e vereadoras de todo o Estado, em um seminário de Formação organizado pela secretaria de Assuntos Institucionais.  O encontro combinou uma análise da conjuntura no país e no RS com painéis de formação sobre temas da atuação parlamentar.

O presidente do PT-RS, deputado federal Pepe Vargas avaliou que os representantes do partido nos legislativos municipais têm um grande papel nessa conjuntura da mudana, destacando que “estamos numa conjuntura bastante diferente de 2016, mas há uma parcela significativa da população que entende ter havido um golpe e que temos uma drástica perda de direitos”. O presidente petista adiantou que, para 2020, o PT deve estar ainda mais forte e organizado.

Foto Web
Ainda pela manhã, o pré-candidato do PT ao governo gaúcho, Miguel Rossetto fez uma avaliação da conjuntura política estadual e das mudanças que se fazem necessárias na administração do Estado. Rossetto resumiu a situação ao dizer que o projeto que destrói o país é o mesmo que destrói o Rio Grande do Sul: “É brutal a destruição e o símbolo maior é a PEC 95 – PEC da Morte, que proíbe investimentos em Saúde e Educação pelos próximos 20 anos”.

Rossetto afirmou que nada justifica um atraso de 30 meses nos salários dos servidores públicos gaúchos. “Salário é um compromisso sagrado” e, por isso, garantiu que no primeiro dia de seu governo pretende assinar um documento comprometendo-se a pagar em dia os salários dos servidores. Além disso, defendeu a volta do Orçamento Participativo. O pré-candidato disse, também, que é preciso recuperar o setor de Segurança Pública, a fim de evitar que as pessoas continuem com medo de sair às ruas, e recuperar a educação pública, melhorando as condições de infraestrutura das escolas e valorizando os professores.

O pré-candidato disse que é preciso denunciar o que o governador José Ivo Sartori assiste calado a destruição do Pólo Naval de Rio Grande. Por fim, falou que não quer um estado de desigualdades e privatizações e que é contra a privatização de empresas públicas, como a CRM, CEEE, Sulgás, e Banrisul.

Fonte: Portal do PT/RS