sexta-feira, 30 de novembro de 2018

Queremos o fim da violência contra as mulheres e as meninas! Para isso, é preciso mudar a cultura machista!

Em Liderança de Oposição, Sofia Cavedon, vereadora do PT e deputada estadual eleita, trouxe ao plenário da Câmara de Porto Alegre na quarta (28/11), a campanha 16 Dias de Ativismo pelo fim da violência contra a Mulher e Meninas, que começou em 25 de novembro e vai até o dia 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos, destacando a luta para erradicar a violência contra a mulher. 

Sofia destacou o Plano Nacional de Enfrentamento à Violência Doméstica contra a Mulher e o Sistema Nacional de Políticas, decretados nesta terça (27) pelo presidente da República seguindo pauta da ONU e dos países que compreendem os dados alarmantes de violência contra as mulheres. 

Ela citou os índices de assassinatos das mulheres no Brasil (4.473, em 2017) e para as altas taxas de feminicídio (946), ressaltando a dificuldade de notificação quando ocorre este crime. “Quase três mulheres por dia são assassinadas por ser mulher, na grande maioria, por relações afetivas”, disse.

A parlamentar também reforçou a necessidade de posicionamento da Câmara no combate à violência.

quinta-feira, 29 de novembro de 2018

Escola pública tem qualidade sim!

Sofia Cavedon, vereadora do PT e deputada estadual eleita, esteve hoje pela manhã (Quinta - 29/11), na 3ª edição da Mostra Pedagógica do CPERS – A qualidade da Escola Pública Fortalece a Resistência. 

Sofia convida, com a profa. Helenir Schürer, presidenta do CPERS/Sindicato, para este último dia da Mostra que ocorre no espaço da Feira do Livro de Porto Alegre (Rua dos Andradas, 1085, Centro – Praça da Alfândega).

Com exposição dos trabalhos desenvolvidos pelos/as estudantes das escolas estaduais. Às 17h ocorrerá a entrega dos troféus e medalhas aos projetos mais significativos e encerramento da Mostra.

quarta-feira, 28 de novembro de 2018

#EducaçãoContraaViolência na vida das Mulheres e Meninas, aprovada!

Neste vídeo apresentamos a manifestação de Sofia Cavedon, vereadora e deputada estadual eleita, que aprovou nesta quarta (28) o projeto de lei de sua autoria, que prevê ações educativas de combate a violência contra mulheres e meninas na rede municipal de ensino de Porto Alegre

Sofia responde aos vereadores e vereadora várias questões levantadas durante o debate realizado na discussão da proposta. 

Sofia lembrou que a Lei que colocou o feminicídio como crime hediondo foi sancionada pela presidenta Dilma Rousseff e foi construída pelos movimentos de mulheres no período do governo do PT. Lembrou ainda que é crime inafiançável e aumentou a pena da violência contra as mulheres e meninas como nos casos de crianças e, como aconteceu recentemente aqui no estado, onde uma mulher foi assassinada pelo companheiro na frente dos filhos. 

Lamentavelmente uma mulher acha que isso é bla, bla, bla, iniciativas que enfrentem e denunciem a violência e o racismo, ainda não entendeu nada e não tem nada de solidariedade e empatia com as mulheres. É muito triste ouvir isso de uma mulher. Muito triste. Ao mesmo tempo em que chorei aqui hoje ouvindo falas de homens que vieram a esta tribuna.

Lamentavelmente a comandante Nádia, que já ocupou a Procuradoria da Mulher na Casa, veio aqui para colocar na condição de "ti-ti-ti de politicamente correto". Como assim politicamente correto? Não se trata de falsas posturas! Nós queremos posturas éticas e democráticas e que respeitem de fato as mulheres e não apenas um discurso politicamente correto. 

Nosso projeto não é demagógico e não é ideológico. Porque direita e esquerda discutem aqui que são contra a violência a mulher. Nosso projeto dá consequência a prevenção. Aqui foram exaltadas apenas medidas de coibição e punição. Nós queremos investir também na prevenção. Não queremos mais mulheres dando trabalho a Maria da Penha e a Brigada Militar porque foram violentadas. Queremos construir a prevenção e homens e mulheres democráticas/os. Não queremos mais nenhuma mulher vítima de violência e para isso é preciso prevenir. É preciso mudar a cultura. 

Concordamos com as medidas pós-violência, mas onde estão às medidas preventivas, as que mudam a vida das mulheres? Elas ainda estão muito ausentes e ainda não mudamos a formação de nossos meninos e meninas. Eles continuam se formando e sendo reproduzidos como machistas. Nós queremos erradicar a violência contra mulheres e meninas. 

Conheça o projeto de lei acessando aqui.

Escolas terão diretrizes para combate à violência contra mulheres

Foto Marta Resing
Proposta de Sofia visa valorizar meninas e mulheres através de ações educativas

A Câmara Municipal de Porto Alegre aprovou, durante sua sessão ordinária desta quarta-feira (28/11), projeto da vereadora Sofia Cavedon (PT), deputada estadual eleita, que estabelece diretrizes para as ações, pela rede municipal de ensino, que visem à valorização de mulheres e meninas e à prevenção e ao combate à violência contra as mulheres. Também foram aprovadas as emendas nº 1 e nº 2, de autoria, respectivamente, de Sofia Cavedon e do vereador João Carlos Nedel (PP), que fazem adequações à redação original do projeto.

De acordo com a proposta aprovada, considera-se violência contra as mulheres todas as práticas fundamentadas na crença da inferioridade de mulheres e meninas e na sua submissão ao sexo masculino. 

Foto Leonardo Contursi/CMPA
As diretrizes das ações sugeridas são: 
- capacitação das equipes pedagógicas e demais trabalhadores e trabalhadoras em educação; 
- promoção de campanhas educativas com o intuito de coibir a prática de violência contra as mulheres e outros atos de agressão, discriminação, humilhação, intimidação, constrangimento, bullying e violência contra meninas; 
- identificação e problematização de manifestações machistas e racistas;
- identificação e problematização das formas de violência e de discriminação contra mulheres e meninas com deficiência; 
- realização de debates, reflexões e problematização sobre o papel historicamente destinado a mulheres e meninas, de maneira a estimular sua liberdade e sua autonomia;
- integração com a comunidade, as organizações da sociedade civil e os meios de comunicação tradicionais, comunitários e digitais; atuação em conjunto com as instituições públicas e privadas formadoras de profissionais de educação; 
- atuação em conjunto com os conselhos municipais da mulher, da criança e do adolescente e da educação;
- estímulo ao registro e à socialização de práticas pedagógicas que atuem no sentido da erradicação de todas as formas de discriminação contra mulheres e meninas; 
- e intercâmbio com as redes de ensino privadas e das esferas federal e estadual.

Constituição

Foto Marta Resing
Lembrando que a Constituição Federal define que “todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza”, Sofia Cavedon destaca que ela também estabelece que homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações. "Ou seja, o legislador não apenas afirma uma igualdade genérica, mas define a igualdade entre homens e mulheres, destacando os aspectos de gênero como merecedores de uma menção específica", diz a vereadora.

Ela observa que, após a promulgação da Constituição Federal de 1988, também chamada de Constituição Cidadã, um conjunto de leis infraconstitucionais tratou da proteção e do combate à opressão, à discriminação e à violência contra a mulher. Entre elas, estão: a Lei Federal nº 11.340, de 7 de agosto de 2006, conhecida como Lei Maria da Penha, que pune a violência doméstica; a Lei Federal nº 12.034, de 29 de setembro de 2009, que obriga os partidos políticos a apresentarem o mínimo de 30% e o máximo de 70% para candidaturas de cada sexo, e a Lei Federal nº 13.104, 9 de março de 2015, que tipifica o crime de feminicídio.

Lei Orgânica

Na esfera municipal, Sofia cita que a Lei Orgânica do Município prevê, em seu artigo 150, que “sofrerão penalidades de multa até cassação do alvará de instalação e funcionamento os estabelecimentos de pessoas físicas ou jurídicas que, no território do Município, pratiquem ato de discriminação racial, de gênero [...]”. Já o artigo 151 estabelece que o Executivo Municipal, anualmente, na primeira quinzena do mês de março, prestará contas à Câmara Municipal acerca das ações e dos programas desenvolvidos no exercício anterior relacionados à:  proteção de mulheres e de crianças vítimas de violência; prevenção e ao combate à violência contra a mulher; e promoção dos direitos da mulher ((Emenda à Lei Orgânica nº 39/2016 de autoria de Sofia Cavedon).

"Entretanto, apesar de todos os avanços na legislação brasileira voltada para a proteção da mulher, milhões de mulheres e de meninas enfrentam, no seu cotidiano, situações de violência, discriminação e opressão. Entre 1980 e 2013, foram assassinadas 106.093 mulheres, 4.762 só em 2013. O Brasil tem uma taxa de 4,8 homicídios para cada cem mil mulheres, a quinta maior do mundo, conforme dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), que avaliaram um grupo de 83 países."

A vereadora ressalta ainda que a educação cumpre um papel fundamental para mudar comportamentos machistas e discriminatórios em relação às mulheres e às meninas. "Quanto mais cedo começar a educação para uma cultura não machista, mais cedo os meninos aprenderão a respeitar as meninas. A Rede Municipal de Educação pode cumprir função importante para a difusão de comportamentos não machistas e de respeito às meninas e às mulheres, desde que seus e suas profissionais tenham suporte e formação para tal."

Fonte: Portal da CMPA.

Projeto Escola Sem Machismo em votação nesta Quarta, 28|Nov

"Se pela denúncia, organização e luta das mulheres, já temos legislações que caracterizam as discriminações e violências como crime, que estabelecem a obrigatoriedade da prevenção e de rede de proteção às mulheres e meninas em situação de violência, ainda nos faltam políticas efetivas que rompam com a produção disso tudo que chamamos de sexismo e de machismo." - Sofia Cavedon

Nesta quarta-feira (28/11) será votado o projeto de lei de autoria de Sofia Cavedon - PLL 209/17 - que estabelece diretrizes para ações que visem à valorização de mulheres e meninas e à prevenção e o combate do machismo pela rede municipal de ensino.

A votação será a partir das 14h15min, na Câmara Municipal de Porto Alegre - Av. Loureiro da Silva, 255 - Plenário Otávio Rocha - Centro Histórico.

Acesse aqui e conheça a proposta.

terça-feira, 27 de novembro de 2018

Dmae está seguindo pelo mesmo caminho da educação

Sofia Cavedon, vereadora do PT, líder da Oposição e deputada estadual eleita, observou na tribuna da Câmara Municipal de Porto Alegre nesta segunda-feira (26/11), que o Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) “está seguindo pelo mesmo caminho da educação. Se não há professores/as, nomeiam-se professores/as de qualquer jeito” 

Dos 3.634 cargos existentes no Dmae, 2.056 estão vagos”, noticiou a parlamentar ao enfatizar o funcionamento precário do departamento, assim como a única equipe trabalhando, “com horas extras, riscos de acidente e até a interrupção do tratamento”. 

Sofia relatou a “terceirização da análise da água, no município, e a grave consequência da descontinuidade no serviço”. Segundo ela, há mais de ano o diretor do Dmae solicita o ingresso de servidores, a nomeação dos 55 servidores/as que estão aguardando chamamento. Lembrou que “isso pode salvar a população de uma contaminação (da água) em larga escala”. 

Sofia afirmou ainda que “o prefeito Marchezan não está nem aí para a educação" e que "ele acusa a ineficiência dos professores/as". “A cidade em colapso tem um responsável: é o prefeito, finalizou Sofia.

Marchezan quer inaugurar em Porto Alegre a contratação temporária permanente de professores/as

"A Rede Municipal de Ensino de Porto Alegre está sendo atacada mais uma vez. E desta vez de maneira perigosa". A declaração é de Sofia Cavedon, vereadora e deputada estadual eleita, na sessão plenária desta segunda-feira (26) da Câmara Municipal onde tramita o projeto de lei do Executivo autorizando a contratação temporária de professores/as para a Secretaria Municipal de Educação (SMED). 

A crítica de Sofia refere-se ao parágrafo segundo do artigo primeiro da proposta (PLE 012/18) que, além do ano contratado, prorroga por mais um ano a mesma contratação temporária. "Isso é intencional para não realizar concursos apesar de estarmos com uma lacuna brutal".

"É mentira do prefeito a ideia da terra arrasada para vir com essa proposta. Tanto que o MP ajuizou no processo que se realize concurso para prover conforme as áreas e as necessidades e, enquanto ainda não estiver pronto o concurso, então, aí sim, realizar a contratação emergêncial", salienta a parlamentar.

Sofia lamentou a ação: "Pensei que esse período nunca chegasse a Porto Alegre. Não na Porto Alegre da Escola Cidadã, dos Fóruns Sociais Mundiais, de Seminários e Encontros Internacionais de Educação. Nunca pensei que uma Rede exemplar para o mundo, pesquisada no mundo, fosse ser atacada no nível que está sendo por este governo".

Destacando que "inaugura em Porto Alegre a contratação permanente temporária de professores/as, que é um mal que atinge a educação estadual. Esse é um dos fatores: 30 mil professores/as com contratos precários, não que eles/elas sejam maus professores/as, mas não têm o conhecimento da escola, nem dos alunos/as".

Nossas Escolhas - Sofia Cavedon - Edição 274/2018

Nossas Escolhas - Edição 274 - Novembro de 2018

Acompanhe o mandato pelo Face - Acesse aqui.

Você recebeu este e-mail porque faz parte da nossa lista de contatos. Se desejar, desvincule-se deste boletim.
Projeto Escola Sem Machismo em votação na Quarta, 28|Nov
Nesta quarta-feira (28/11) será votado o projeto de lei de autoria de Sofia Cavedon - PLL 209/17 - que estabelece diretrizes para ações que visem à valorização de mulheres e meninas e à prevenção e o combate do machismo pela rede municipal de ensino.

Saiba mais...   
  

                      Arte Marta Resing
Fechamento da EMEI Unidos da Paineira foi denunciado no MP de Contas
Foto Estela Vilanova
Situação da EMEI Unidos da Paineira, que teve o seu fechamento anunciado no último dia 06 pela SMED/ Porto Alegre foi denunciado ao Ministério Público de Contas do RS, através de representação feita por Sofia Cavedon, vereadora do PT e deputada estadual eleita.
Aula Pública pela volta e manutenção dos professores e professoras no Esporte
Foto Marta ResingCom uma aula pública em frente a Prefeitura, usuárias e usuários dos parques e centros comunitários de Porto Alegre protestaram na manhã desta quarta-feira (21/11) pedindo o retorno e a permanência dos professores e professoras das atividades de esportes, recreação e lazer da cidade.

Saiba mais...

Veja também:
Manifestação de Sofia Cavedon
Álbum de Fotos
 

Leia também: 
25 de novembro - Dia de Luta contra a Violência às Mulheres e Meninas
Integrando os 16 Dias de Ativismo pelo fim da violência contra a Mulher, no domingo - 25 de novembro - celebramos o Dia Internacional, Latino-Americano e Caribenho e, em Porto Alegre, o Dia Municipal pela Eliminação da Violência contra às Mulheres e Meninas, iniciativa da vereadora Sofia Cavedon (PT-PoA), deputada estadual eleita.
                     Arte Marta Resing
 FACEBOOK TWITTER YOUTUBE FLICKR G+
Gabinete: Av. Loureiro da Silva, 255, Sala 211 - Centro Histórico
Porto Alegre/RS - Fone (51) 3220.4263
Jorn. Marta Resing - mandatosofiacavedon@gmail.com

Gabinete: Av. Loureiro da Silva, 255, Sala 211 - Centro Histórico
Porto Alegre/RS - Fone (51) 3220.4263

domingo, 25 de novembro de 2018

25 de novembro - Dia de Luta contra a Violência às Mulheres e Meninas

Neste domingo - 25 de novembro - é celebrado o Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra a Mulher - Dia Latino-Americano e Caribenho de Luta contra a Violência à Mulher e, em Porto Alegre, o Dia Municipal pela Eliminação da Violência contra às Mulheres e Meninas, iniciativa da vereadora Sofia Cavedon (PT-PoA), deputada estadual eleita.


quinta-feira, 22 de novembro de 2018

Fechamento da EMEI Unidos da Paineira foi denunciado no MP de Contas

Situação da EMEI Unidos da Paineira, que teve o seu fechamento anunciado no último dia 06 pela SMED/ Porto Alegre foi denunciado ao Ministério Público de Contas do RS, através de representação feita por Sofia Cavedon, vereadora do PT e deputada estadual eleita, ao Procurador Geral do Ministério Público de Contas, Geraldo Da Camino.

Na audiência realizada na tarde desta quinta-feira (22), Sofia Cavedon, juntamente com mães e representação do Conselho Tutelar da região, protocolou a denúncia do fechamento da Escola Infantil Unidos da Paineira, que atende a comunidade da Vila Maria da Conceição há 27 anos ofertando vagas para do Maternal 1 ao Jardim B, totalizando 47 crianças matriculadas.

Sofia reforçou que as vagas para a educação infantil devem ser ampliadas e não reduzidas, e que todas as escolas e creches apresentam lista de espera, justamente pela impossibilidade de atender toda a demanda existente na cidade. "Para isso solicitamos providências urgentes a fim de assegurar o direito a educação dos alunos da EMEI Unidos da Paineira", enfatizou a parlamentar.

Geraldo Da Camino disse na reunião que irá priorizar a investigação da denúncia.

 Região tem carência de mais de mil vagas 

Além da vereadora Sofia, participaram da reunião, mães de alunos/as da escola e dois conselheiros tutelares da região Partenon.

Segundo os conselheiros, a região apresenta uma demanda reprimida de 1000 vagas para a Educação Infantil e que a transferência dos alunos da Unidos da Paineira para outras escolas da região, resultaria na recusa de vagas para outras crianças.

Ou seja, enfatizaram, o fechamento da escola irá reduzir a oferta de vagas, configurando a violação dos direitos das crianças.

Ainda segundo eles, a proprietária do prédio alugado onde funciona a escola atualmente, se dispõe a reduzir o valor do aluguel caso seja renovado o contrato de locação, porém só negociará com a prefeitura se os valores em atraso (desde fevereiro/2018) forem pagos.

Histórico 

A EMEI Unidos da Paineira é uma escola pública municipal que desde 2010 está funcionando na rua Tobias Barreto, 170, devido à interdição da sede da rua Antônio Farias, 130. O embargo ocorreu pois uma paineira comprometeu a estrutura do prédio. Devido a um processo judicial movido pelo morador que tem a árvore em seu terreno, a mesma ainda não foi retirada.

O aluguel da sede provisória não é pago desde fevereiro de 2018 e, conforme informação da SMED, o contrato de locação não será renovado por parte do governo municipal; a escola só poderá funcionar até 31/12/2018.

Dia da Paz nas Escolas - Na Redenção, ato pela paz e respeito à educação

Na Redenção, ato pela paz e respeito à educação. No plenarinho da Câmara Municipal, para uns poucos assessores, o secretário da Educação, faz balanço sobre os dois anos de gestão e perspectivas para 2019. 

COMPAREM (síntese do jornalista Luiz Almeida): 

1 – Iniciou a apresentação mostrando a foto da menina Gabriela (a mesma que usou no início do governo) e falou sobre a necessidade de melhorar proficiência em português e matemática dos alunos da rede municipal.
2.1 – Meta quantitativa: atendimento pleno da demanda das etapas obrigatórias. Segundo o secretário as famílias não procuram a escola para as crianças de 4 e 5 anos, a procura maior e para crianças menores.
2.2 – Meta Qualitativa: proficiência da Educação Infantil ao Ensino Médio.
3 – Reestruturação da SMED: rede municipal e rede conveniada.
4 – Rotina Escolar: a mudança na rotina escolar, com o fim da dispensa dos alunos para a reunião pedagógica, melhorou a segurança pública na capital (menos 40 mil crianças e adolescentes na rua) e contribuiu para reduzir as desistências.
4.1 – Os professores que faziam planejamento fora da escola não podiam ajudar o diretor em caso de necessidade.
4.2 – Cerca de 700 Licenças saúde por mês para professores.
4.3 – Os professores tiveram uma perda de apenas 15 min: “nunca tivemos tantos professores povoando as escolas municipais”.
5 – Rede Conveniada
5.1 – Aumento de 35%, 30% em 2018 e 15% em 2019. As creches recebiam R$ 360,00 por criança: “as comunitárias tem cumprido o seu calendário, pois não fizeram greve”.
5.2 – Convênio para o Ensino Fundamental: a Casa da criança foi a primeira escola de EF conveniada, “esperamos um pequeno aumento para o ano que vem”.
5.3 – Rede Comunitária atende 22 alunos e a Rede Estatal atende 7 mil alunos. “A Smed funcionava muito em função da rede própria”
6 – Estrutura da Smed: Diretoria Pedagógica, Diretoria de Parcerias e Diretoria de Recursos Humanos.
7 – O calendário Escolar passou a ser um documento publicado n o DOPA. Há um monitoramento do cumprimento da carga horária e dos dias letivos.
8 – Formação em gestão para os diretores, com apoio da Fundação Sirotsky.
9 – Instalação de portarias nas EMEFs, para o próximo ano está previsto portaria nas EMEIS.
10 – Duas câmeras de cada escola são monitoradas pelo CEIC, as demais são monitoradas em circuito interno.
11 – Aumento dos repasses para os conselhos escolares enterre 155% e 255%.
12 – Nova política de TI para as escolas em 2019.
13 – Editais para EI, E. Especial e E. Integral: assegurar que o aluno fique 7 h por dia na escola para receber em dobro do Fundeb. O objetivo é criar 5000 mil vagas no turno inverso.
14 – TI; informatização da EI, wi-fi, informatização dos processos pedagógico, utilização de plataformas digitais, a Smed já tem a licença para utilizar o Elefante Letrado.
15 – Avaliação independente: duas provas por ano, talvez uma neste ano. A empresa já está em fase de contratação.
16 – Colocação de painéis solares nas escolas. Tem recursos do BRDE para implantar as placas.
17 – Criação do espaço Fazer.
18 – Escola Eni Medeiros recebeu doação da Sthil para implantar a horta.
19 – O Departamento Pedagógico da Smed tinha 150 pessoas em 2016 e agora funciona com 22.
20 – Porto Alegre tem, excesso de professores segundo o TCE.
21 – O Adote um Escritor custava um milhão e o dinheiro não ia todo para os escritores, parte ia Pará compra de livros e parte para a Câmara rio-grandense de Livros.
22 – Se as creches comunitárias não estiverem organizadas contabilmente não vão receber os recursos da sociedade civil (via Fundos), nem os repasses da Smed.
23 – Escolas Inacabadas: o programa federal terminou e a Smed está negociando com o FNDE a liberação de recursos. “Nem todas as escolas serão concluídas, a realidade mudou”
26 – Foi sugerido, por participantes, que o governo articule com o líder do governo e PGM para enviar projeto assegurando que parte da contrapartida dos grandes empreendimentos seja destinado para a educação. Já que os empreendimentos geram demanda de vagas.

Dia da Paz nas Escolas - Nós viemos prestigiar vocês. A vida real. A Escola real! Enviar mensagem

Manifestação de Sofia Cavedon 

A Paz quem traz é a Educação e é o lindo trabalho que a Educação Municipal faz em Porto Alegre. 

Sofia Cavedon, vereadora do PT eleita Deputada Estadual, esteve na Redenção na manhã desta quinta-feira (22) em apoio a Rede Municipal de Ensino que promoveu o Dia da Paz nas Escolas.

A Educação nos últimos anos em Porto Alegre vem sofrendo ataques muitos duros: atacam o currículo, retiram professores/as, desprestigiam o resultado da nossa educação, não querem priorizar a educação de jovens e adultos. 

É na gestão democrática que muitos problemas são resolvidos através do diálogo com a direção da escola, com os e as professoras/es. Não é na agressividade, não é no ódio, não é na violência.

Esta manifestação de vocês está na caminhada da resistência que estamos fazendo coletivamente como as escolas que recentemente sofreram situações de violência.

O prefeito Marchezan retirou das escolas a guarda municipal para criar a guarda pessoal e de repressão. 

No próximo dia 11 de dezembro - terça-feira, às 14h30min, a Comissão de Educação da Câmara Municipal debaterá a violência e a segurança nas escolas. 

Nós viemos prestigiar vocês. A vida real. A Escola real!

#RMEescolastransformandovidas 

Veja aqui o Álbum de Fotos.

Dia da Paz nas Escolas

Foto Marta Resing
Veja aqui o Álbum de Fotos.

As escolas da Rede Municipal de Ensino de Porto Alegre e o Centro Municipal de Educação dos/as Trabalhadores/as Paulo Freire promoveram nesta quinta-feira (22/11) o Dia da Paz nas Escolas.

O evento, realizado no Parque da Redenção, contou com a participação de Sofia Cavedon, vereadora do PT eleita Deputada Estadual, e teve como objetivo lembrar que a escola é lugar de diálogo, de aceitar as diferenças, de respeitar o outro, de conviver.

Um dia para lembrar que escolar é lugar de pensar, de produzir conhecimento, onde alunos/as e professores/as aprendem e ensinam.

Um dia para lembrar que a escola não é lugar de violência, mas de paz e vida.

#RMEescolastransformandovidas

Lei das Antenas: retirado o princípio da precaução

"A saúde da população não importa, só importam os negócios e o lucro... nem as escolas infantis conseguimos proteger!"

Com os votos contrário das bancadas do PT e PSOL, a Câmara Municipal aprovou, nesta quarta-feira (21/11), por 23 votos a cinco, o Projeto de Lei Complementar do Executivo (PLCE) que estabelece normas urbanísticas específicas para a instalação de Estações Transmissoras de Radiocomunicação (ETRs) autorizadas e homologados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). 

Sofia Cavedon, Líder da Oposição, em sua manifestação na tribuna da Casa, criticou a justificativa do prefeito que não corrige o problema da exposição humana aos campos eletromagnéticos emanados pelas antenas.

O que faz o Sr. Prefeito: retira o município do licenciamento passando a responsabilidade para o âmbito federal. 

Conforme Sofia duas leis estão sendo extintas com a nova proposta, retirando o princípio da precaução e ainda retirando o município da fiscalização. 

E alguns vereadores vem aqui na tribuna garantir que é seguro e que está uma beleza. Mas os técnicos estão dizendo que existem dúvidas. 

O projeto aprovado altera a atual legislação municipal que regula a instalação de antenas de telefonia móvel em Porto Alegre aos termos das normas de aplicação e abrangência nacional quanto ao licenciamento das ETRs e limites de exposição humana à radiações eletromagnéticas - como a Lei Geral das Antenas.

Saiba mais no Portal da CMPA

quarta-feira, 21 de novembro de 2018

Prefeito terá que explicar situação do DMAE ao Ministério Público de Contas

Foto MPC/RS
O procurador-geral do Ministério Público de Contas do RS, Geraldo Da Camino, expediu no final da tarde desta quarta-feira (21/11) medida cautelar ao Prefeito Municipal a fim de que sejam explicados a situação deficitária do quadro de pessoal e a perda de autonomia de gestão do Departamento Municipal de Água e Esgotos de Porto Alegre – DMAE.

A representação foi protocolada pela Frente Parlamentar em Defesa do DMAE da Câmara de Porto Alegre e, conforme a vereadora Sofia Cavedon (PT) destaca, existe contradição do governo sobre as receitas e os investimentos da autarquia citando o Programa Integrado Socioambiental (Pisa) e os últimos dois anos de investimentos do DMAE, tanto em água como em esgotos, que ficaram muito aquém do esperado, com várias demandas represadas ocasionadas pelos atuais problemas estruturais do Departamento.

Sofia ressalta ainda o processo de redução do funcionalismo na autarquia, hoje em torno de 2 mil cargos a menos, que prejudica o atendimento à cidade. "Há a urgente necessidade de realização de concurso público", salienta a vereadora.

MPC  abre inspeção especial para averiguar denúncias

Foto Vera Petersen/JC
O Ministério Público de Contas também instaurou uma Inspeção Especial para apurar as denúncias, afirmando: considerando a gravidade e a relevância do tema, e tendo em conta que a coibição e a censura dos atos potencialmente lesivos aos ditames que regulam a atividade administrativa se encerram no conjunto das competências desse Tribunal requer:

- Que seja determinado, em sede de medida cautelar, que o Prefeito Municipal de Porto Alegre abstenha-se de praticar atos que, interferindo na autonomia da autarquia, possam afetar o adequado funcionamento do Departamento
Municipal de Água e Esgoto –DMAE;

- Que seja determinado, em sede de medida cautelar, que o Diretor-Geral do Departamento Municipal de Água e Esgoto -DMAE adote providências a fim de evitar riscos de comprometimento ou interrupção da prestação adequada do serviço público de água e esgoto;

- Requer o recebimento e processamento da presente medida cautelar, propugnando por seu acolhimento, bem como seja dada ciência ao Parquet das providências implementadas pela Casa em relação à matéria.

Veja a íntegra do documento do MPC:

Enfim, após 7 anos, terreno para Vila Liberdade é aprovado

Sofia Cavedon, vereadora do PT e deputada estadual eleita, acompanha há muitos anos as comunidades do entorno da Arena e, quando presidenta da Câmara Municipal de Porto Alegre ao assumir por 13 dias o cargo de Prefeita da cidade, visitou oficialmente a Vila Liberdade. 

Projeto aprovado: ENFIM a ÁREA PRONTA PARA CONSTRUIR!

A Câmara Municipal de Porto Alegre aprovou por unanimidade, nesta quarta-feira (21/11/18), o projeto de lei do Executivo que autoriza o Município a receber, do Estado do Rio Grande do Sul, duas áreas de terra. Os dois locais serão para o assentamento e regularização fundiária da Vila Liberdade. (Saiba mais: http://bit.ly/2S9f0v4)

Carta à Liberdade - Por Sofia Cavedon

Reproduzimos aqui o artigo de Sofia publicado na edição de 30 de junho de 2011 no jornal Zero Hora.

Os poucos dias à frente da Prefeitura Municipal, momentos em que ficam aguçados os sentidos, aumentado ainda mais o senso de responsabilidade com o mandato concedido pelo povo, são como se tudo se tornasse urgente e contundente.
Desta vez, a Vila liberdade pediu socorro. Desta vez, não, mais uma vez! Ciente de que uma das pautas era a falta de água, chamei o DMAE e fomos visitá-la. Seguindo o “mangueirão”- por onde a água supostamente chega às casas - como o fio de Ariadne, fomos entrando no labirinto inescrutável da capacidade de sobrevivência humana. 
Nos ossos, na pele, na memória, na consciência, carregamos as imagens da sempre surpreendente disposição para brincar das crianças, abstraindo o entorno: se há uma tabuinha no meio do lodo, ali elas giram o pião; se há um canto seco na casa, cercado de roupas empilhadas, ali elas viram cambalhotas; se há uma televisão na cômoda que escapou das goteiras, em frente a ela viajam, brincam, participam da vida que as imagens e sons apresentam. 
O “mangueirão” nos leva a incontáveis maneiras de lavar e secar roupas, tarefa que valorosas mulheres teimam em fazer, sem uma nesga de sol, em exíguos espaços. Pelos acessos estreitos pisamos no esgoto e no barro, driblados com tapetes velhos, lixo, tábuas, mas só vamos enxergar a verdadeira dimensão desta umidade e contaminação quando espiamos embaixo dos assoalhos – de quem os tem – e ali há muito mais!
Era sábado pela manhã e todos os adultos daquele labirinto estavam envolvidos na luta pela sobrevivência. Em muitas casas, só as crianças nos espiavam. Élida, a líder comunitária que nos guiava pelos vestígios do mangueirão, em cada casa, convocava para a assembleia de moradores que aconteceria na segunda-feira, onde mais uma vez, avaliariam os passos para a conquista da urbanização, da moradia digna, do acesso à água limpa, ao solo seco, à luz elétrica para o tão sonhado banho quente. 
“A palavra arrasta o povo” dizia Nejar. A certeza dos direitos, naquela vila que chamaram Liberdade, arrasta a esperança que eles mantem viva com a luta. Lá, eles vencem um Minotauro por dia, o difícil é sair do labirinto da absoluta falta de investimento, da desigualdade perpetuada pela materialidade da vida. 
O dístico “minha casa, minha vida” nunca ganhou tanta significação, tanta urgência, tanta denúncia! É o sonho que faz com que o fio da luta não se parta e leve finalmente à saída do labirinto. Mas o insaciável Minotauro derrotado por Teseu, com suas novas faces contemporâneas e sua capacidade de reinvenção, não está assombrando só na Liberdade. Terá que ser derrotado pela coragem e teimosia dos que não se acomodam apenas alimentando o monstro!

Manifestação de Sofia Cavedon na Aula Pública em defesa do Esporte, Lazer e Recreação

Primeiro quero manifestar o meu orgulho da luta de vocês! 

Uma das mais tristes ações deste prefeito nos últimos dois anos foi a extinção da Secretaria Municipal de Esportes e o seu desmonte.

É a retirada das professoras e dos professores, a retirada de espaços que estão sendo abandonados, a retirada de programas importantes, das medalhas aos encontros, atingindo toda uma construção de cidadania e de saúde preventiva.

Nós não vamos cansar de fazer essa luta. Nós estamos vivos! 

Vamos continuar nosso movimento e nos organizar ainda não estamos porque precisamos resistir e buscar nossos direitos. Nós defendemos uma cidade para todos e todas. 

Contem com o nosso mandato de vereadora até o fim e com o nosso próximo mandato de Deputada Estadual que vocês ajudaram a conquistar, tenho certeza disso! E esse mandato estadual vai trabalhar o Esporte, Lazer e Recreação com mais peso político ainda. 

Esse movimento é uma construção de vocês que aprenderam a fazer política. A boa política, que é estar junto e exigir o respeito dos nossos governantes. 

Viva a SME, Viva a SME, Fica SME! 

Veja também: 
- Aulão pede volta e manutenção dos professores e professoras no Esporte 
- Aula Pública pela volta e manutenção dos professores e professoras no Esporte (Vídeo)

E aqui o Álbum de Fotos.

Aula Pública pela volta e manutenção dos professores e professoras no Esporte

Professora Cira e professor Randon orientaram as atividades físicas.

Durante os exercícios, foi lembrado que o serviço de recreação pública da Capital foi pioneiro na América Latina, tendo início em 1927, na região do Alto da Bronze. “Essa história não vai acabar na ponta da caneta”, disse o educador físico, professor Rondon.

Cecopam, Ginásio Tesourinha, Parque Ararigbóia, Parque Alim Pedro, Darci Azambuja, Cecores, Cevi e Cegeb presentes!

Sofia Cavedon: A principal reivindicação do movimento é a volta dos professores/as retirados/as da SME e a manutenção dos que ainda permanecem. 

"Não são 20 a 40 professores que irão resolver a destruição que a Smed promoveu na Educação. Faltam 600 professores na rede, e não são somente os de educação física”, enfatizou o diretor geral do Simpa, Jonas Reis. 

Veja também: 
Aulão pede volta e manutenção dos professores e professoras no Esporte 

E aqui o Álbum de Fotos.

Aulão pede volta e manutenção dos professores e professoras no Esporte

Foto Marta Resing
Veja o Álbum de Fotos aqui.

Com uma aula pública em frente a Prefeitura, usuárias e usuários dos parques e centros comunitários de Porto Alegre protestaram na manhã desta quarta-feira (21/11) pedindo o retorno e a permanência dos professores e professoras das atividades de esportes, recreação e lazer da cidade. A aula foi ministrada pela professora Cira e professor Randon.

A comunidade está na luta pela defesa dos serviços públicos de esporte, recreação e lazer da capital desde o primeiro ano de governo Marchezan, que acabou com a Secretaria Municipal de Esportes (SME), transformando-a em um departamento e, atualmente, está retirando os professores e professoras que atuam nessas atividades, prejudicando especialmente a população mais idosa e as crianças.

Foto Marta Resing
Sofia Cavedon, vereadora do PT e deputada estadual eleita, que preside a Frente Parlamentar em Defesa do Direito Social ao Esporte, Recreação e Lazer da Câmara Municipal, conseguiu abrir uma agenda com o governo, onde as representações do Cecopam, Ginásio Tesourinha, Parque Ararigbóia, Parque Alim Pedro, Darci Azambuja, Cecores, Cevi e Cegeb foram recebidas e reiteraram os benefícios, inclusive para os cofres públicos, que as atividades representam. "A principal reivindicação do movimento é a volta dos professores/as retirados/as da SME e a manutenção dos que ainda permanecem", ressalta a parlamentar.

Esta é a terceira reunião que a Frente Parlamentar e a Comissão de Usuárias/os mantem com secretários/as do governo. Já ocorreram reuniões com o secretário de Educação, Adriano Naves de Brito, com a secretária de Desenvolvimento Social e Esporte, Denise Ries, e hoje com o secretário adjunto de Relações Institucionais e Articulação Política (SMRI), Carlos Siegle de Souza. Nova reunião ficou encaminhada para daqui a 15 dias.

A aula pública foi uma realização da Frente Parlamentar em Defesa do Direito Social ao Esporte, Recreação e Lazer da Câmara Municipal com a Comissão de Usuárias/os e apoio do Simpa.

Cece debate fechamento de EMEIs Pica-Pau Amarelo e Unidos da Paineira

A Comissão de Educação, Cultura e Esportes (Cece) da Câmara Municipal de Porto Alegre debateu nesta terça-feira (20/11) o fechamento das EMEIs Unidos da Paineira e Jardim da Praça Pica-Pau Amarelo. O tema foi pauta da reunião em função do anúncio, feito em 2017, por parte do governo municipal de que pretende extinguir o turno integral e maternal da escola Pica-Pau Amarelo e fechamento da Unidos da Paineira. 

Na reunião Sofia Cavedon, vereadora e deputada estadual eleita, solicitou respostas objetivas do secretário municipal da Educação. 

Mas o Secretário não levou outras possibilidades que não o fechamento.

Sobre a Unidos da Paineira o Secretário disse que a intenção é que o prédio fique pronto em 2020, mas em 2019 as crianças serão realocadas em outras escolas. Mães não sabem como farão para custear o transporte para levar as crianças, pois na localidade a mais perto fica dois quilômetros de distância.

Sobre o Jardim da Praça Pica-Pau Amarelo, localizada no Centro da cidade, o Secretário afirmou que a demanda por novas inscrições como maternal e turno integral, é que irão definir quantas vagas deverão ser abertas, em outro local.

De acordo com a representante do Conselho Municipal da Educação, Isabel Letícia Medeiros, o órgão acompanha com muita preocupação a redução das vagas na escola. “Significa uma grande perda para a comunidade”, disse a professora.

terça-feira, 20 de novembro de 2018

DMAE - Desaparelhamento e a retirada da autonomia na pauta do MPC hoje

Desaparelhamento e a retirada da autonomia do DMAE é pauta nesta terça-feira (20), no Ministério Público de Contas, quando Sofia Cavedon e representação dos/as trabalhadores/as do DMAE e do Simpa, terão audiência, às 16h45min, com o Procurador-Geral do MPC, Geraldo da Camino. 

Nesta segunda-feira (19/11) Sofia Cavedon, vereadora do PT e Deputada Estadual eleita, abordou em sua manifestação na Câmara de Porto Alegre sobre a iniciativa do prefeito municipal que foi à justiça para retirar a proibição da concessão da exploração do fornecimento de água e esgoto em Porto Alegre. 

Está em questão a capacidade do legislativo de proteger os bens e serviços da cidade”, disse ao citar o parágrafo 2º do artigo 225 da Lei Orgânica do Município, votado pela Câmara e considerado inconstitucional pelo Órgão Especial do Tribunal de Justiça.

Sofia defendeu o trabalho do DMAE, que, segundo ela, está sendo desaparelhado, e mesmo assim, segue superavitário. 

A parlamentar lembrou que o Departamento já implantou separador de água e esgoto para 80% da cidade e, se não tivesse perdido pessoal, capacidade de educação ambiental, este investimento do Programa Integrado Socioambiental (PISA) estaria potencializado e quiçá Ipanema tivesse sua água saneada. 

Nesta gestão o DMAE está com a metade dos/as servidores/as que já teve e com terceirização na leitura, no desligamento, e perdeu sua autonomia para nomear, licitar, para tomar as providências e ter capacidade de atuação. 

Sofia ressaltou que o órgão tem capacidade sim de buscar financiamento e lembrou que o PISA foi uma busca de recursos de R$ 372 milhões, com uma contrapartida do próprio DMAE de R$ 71 milhões, portanto R$ 440 milhões foram investidos. Licitados, projetos realizados, fiscalizados e implantados pelo Departamento, que tem essa capacidade técnica de buscar financiamento, dar contrapartida e de realizar uma grande obra com o socioambiental, diferente de qualquer outro órgão do governo municipal.

O DMAE é um órgão que faz muito bem a Porto Alegre e essa cláusula da Lei Orgânica tem que ser protegida por nós, para a autarquia continuar com o seu vigor e o prefeito respeitar essa história da cidade.

Abraço à EMEI Unidas da Paineira

Nesta terça-feira (20/11) a comunidade da Vila Maria da Conceição, Partenon, abraçou a Escola de Educação Infantil (EMEI) Unidos da Paineira, que está por ser fechada pela Secretaria de Educação de Porto Alegre. 

A EMEI está localizada hoje na Rua Tobias Barreto, 170, em um prédio alugados que a prefeitura não paga desde fevereiro deste ano, alegando irregularidades no pagamento.

Conforme Sofia Cavedon, vereadora de Porto Alegre e deputada estadual eleita, a escola está em uma área em que nenhuma matrícula pode ser perdida, o que agravará o enorme déficit educacional que a cidade já tem! Sofia destaca ainda que são vagas próprias, não conveniadas atendendo uma comunidade muito carente.

A sede própria da Unidos da Paineira, localizada na Rua Antônio de Farias 130, foi interditado pela Defesa Civil em maio de 2010, em decorrência de uma paineira que ameaça a estrutura do prédio, colocando em risco a integridade de alunos/as e educadores/as. Em agosto desse mesmo ano a EMEI começou a atender no espaço alugado, que deveria ser de forma provisória até a remoção da paineira ser realizada, assim como a sua reforma estrutural.

#EducaçãoÉPrioridade

20 de Novembro - Dia da Consciência Negra


segunda-feira, 19 de novembro de 2018

Mais Médicos: Presidente nem assumiu e já prejudica milhões de brasileiros e brasileiras

Sofia Cavedon, Vereadora do PT e Deputada Estadual eleita, manifestou-se no período de comunicações da sessão plenária desta segunda-feira (19/11) lamentando a saída dos médicos cubanos do programa Mais Médicos.

Conforme a parlamentar o presidente ainda não empossado já desrespeita a soberania dos povos e, ao falar que não podemos ter no país escravos cubanos, deveria analisar quantos milhões de brasileiros/as ganham um terço do que recebem os médicos cubanos, mesmo dando a sua contribuição, que é regra no seu país.

... esses médicos, que aqui estavam e prestaram um serviço inestimável à vida, aderem o programa por que querem... 

Sofia lembrou que 66 países tem esse mesmo convênio com Cuba e os médicos não terão problema de onde atuar.

Lembrou também que os primeiros editais do Programa Mais Médicos é para adesão de brasileiros/as, só posteriormente é aberto para os demais médicos/as do mundo.

Quero lamentar profundamente, que por ideologia, por uma bravata do tempo da guerra fria, o presidente eleito prejudica a saúde de milhões de brasileiros e brasileiras.

Contra o desmonte do Esporte em Porto Alegre

Aula pública pela manutenção dos professores e professoras no Esporte, Recreação e Lazer da cidade

Nesta quarta-feira,  21/11, às 10h, a comunidade que está na luta pela defesa dos serviços públicos de esporte, recreação e lazer da capital, realizará uma aula pública de Educação Física em frente a Prefeitura de Porto Alegre.

O objetivo é chamar a atenção da população pedindo o seu apoio contra as ações do prefeito Marchezan Jr. que após fechar a Secretaria, agora retira professores e professoras dos Esportes, prejudicnado milhares de ususários e usuáris dos parques e centros comunitários da cidade.

Promoção: SIMPA e Frente Parlamentar em Defesa do Direito Social ao Esporte, Recreação e Lazer da Câmara Municipal.

Cece debate a falta de Segurança nas Escolas de Porto Alegre

Por solicitação de Sofia Cavedon, vereadora e deputada estadual eleita, a Comissão de Educação, Cultura, Esporte e Juventude (Cece) da Câmara Municipal de Porto Alegre realizará reunião aberta para debater a falta de segurança nas Escolas do Município

A audiência será nesta terça-feira, 20, às 14h30min, na Sala das  Comissões - 3º Andar da Câmara - Av. Loureiro da Silva, 255.

Convidados/as para a reunião representantes da Smed, Ministério Público, Atempa, Simpa, CME e Escolas Municipais da Capital.

Leia: Professores ameaçados... Que país é esse? - Artigo de Sofia Cavedon  publicado no Jornal Correio do Povo do dia 08/Nov/18.

Veja também: Sofia : Vamos exigir a mudança de política da nossa Guarda Municipal


Abraço à EMEI Unidas da Paineira nesta Terça (20/11)

Nesta terça-feira - 20/11 - às 8h, a comunidade fará um abraço à  Escola de Educação Infantil (EMEI) Unidos da Paineira, que está por ser fechada pelo prefeito de Porto Alegre.

A EMEI está localizada hoje na Rua Tobias Barreto, 170, Vila Maria da Conceição, Partenon, (Onde ocorrerá o Abraço) em um prédio alugado mas que a prefeitura não paga desde fevereiro deste ano.

A Unidos da Paineira teve seu prédio (Rua Antônio de Farias, 130) interditado pela Defesa Civil em maio de 2010, em decorrência de uma paineira que ameaça a estrutura do prédio, colocando em risco a integridade de alunos/as e educadores/as. Em agosto desse ano a EMEI começou a atender nesse novo espaço alugado, de forma provisória, na rua Tobias Barreto, 170.

Veja também: Prefeito quer fechar Escola de Educação Infantil do Partenon

Nossas Escolhas - Sofia Cavedon - Edição 273/2018

Nossas Escolhas - Edição 273 - Novembro de 2018

Acompanhe o mandato pelo Face - Acesse aqui.

Você recebeu este e-mail porque faz parte da nossa lista de contatos. Se desejar, desvincule-se deste boletim.
Abraço à EMEI Unidas da Paineira nesta Terça (20)
Foto Marta Resing
Nesta terça-feira - 20/11 - às 8h, a comunidade fará um abraço à Escola de Educação Infantil (EMEI) Unidos da Paineira, que está por ser fechada pelo prefeito de Porto Alegre.


Saiba mais...

Veja também:

- Prefeito quer fechar Escola de Educação Infantil do Partenon

- Unidos da Paineira - Marchezan e Smed fecham Escola de Educação Infantil em Porto Alegre
 

Também na Terça (20): Cece debate a falta de Segurança nas Escolas de Porto Alegre
Arte Marta Resing

Por solicitação de Sofia Cavedon, vereadora e deputada estadual eleita, a Comissão de Educação, Cultura, Esporte e Juventude (Cece) da Câmara de Porto Alegre realizará reunião aberta para debater a falta de segurança nas Escolas do Município

A audiência será nesta terça-feira, 20, às 14h30min, na Sala das Comissões - 3º Andar da Câmara - Av. Loureiro da Silva, 255.


Saiba mais...

Veja:
Sofia "Vamos exigir a mudança de política da nossa Guarda Municipal"


Leia:
Professores ameaçados... Que país é esse? - Artigo de Sofia Cavedon
Contra o desmonte do Esporte em Porto Alegre
Arte Marta Resing
Aula pública pela manutenção dos professores e professoras no Esporte, Recreação e Lazer da cidade


Nesta quarta-feira, 21/11, às 10h, a comunidade que está na luta pela defesa dos serviços públicos de esporte, recreação e lazer da capital, realizará uma aula pública de Educação Física em frente à Prefeitura de Porto Alegre

Saiba mais...

Veja também:
Seminário um ano sem SME - Como estamos e para onde vamos?
 

Veja também: 
 FACEBOOK TWITTER YOUTUBE FLICKR G+
Gabinete: Av. Loureiro da Silva, 255, Sala 211 - Centro Histórico
Porto Alegre/RS - Fone (51) 3220.4263
Jorn. Marta Resing - mandatosofiacavedon@gmail.com

Gabinete: Av. Loureiro da Silva, 255, Sala 211 - Centro Histórico
Porto Alegre/RS - Fone (51) 3220.4263

sábado, 17 de novembro de 2018

Sapucaia do Sul - Pelo direito a morar

Foto Estela Vilanova
Na luta pelo direito a morar, Sofia Cavedon, vereadora do PT e Deputada Estadual eleita, esteve neste sábado (17/11) em Sapucaia do Sul, nas Ocupações Abelhas e José Joaquim.

As famílias lutam pela regularização das ocupações que estão em áreas da Fundação Zoobotânica (FZB).

Para Sofia, "se pode ter presídio em área do Zoológico, pode ter moradia popular também".

#DireitoDeMorar

Saiba mais da atuação de Sofia na luta acessando aqui.

quinta-feira, 15 de novembro de 2018

Sofia : Vamos exigir a mudança de política da nossa Guarda Municipal

Pronunciamento da Vereadora Sofia Cavedon, Deputada Estadual eleita, na reunião da Frente Parlamentar da Segurança Pública Municipal sobre a violência nas escolas da rede municipal.

Essa violência tem base, tem origem: o desrespeito a categoria que está sendo propagado neste país, mas também na ausência de políticas de segurança na cidade de Porto Alegre. Hoje, os 60 guardas que saíram no ano passado para compor a Romu, que é uma guarda de força construída pelo prefeito para reprimir os movimentos, estão no Centro da cidade recebendo várias vantagens salariais, enquanto os e as guardas que ficaram na periferia perderam horas extras. 

E a última medida do prefeito foi tirar mais guardas para a fiscalização, também no centro e na orla do Guaíba desguarnecendo o trabalho do servidor/a e das comunidades periféricas. 

Outro equívoco é terceirizar a nossa Guarda Municipal, que tem concurso aberto e o prefeito não chama. 

O encontro foi realizado nesta quarta-feira (14/11) na Câmara de Porto Alegre.

quarta-feira, 14 de novembro de 2018

Tempo de balanço e construção coletiva do novo mandato - Sofia Cavedon

Plenária "O que vivemos, para onde vamos?"

Análise de Sofia Cavedon, vereadora de Porto Alegre eleita Deputada Estadual pelo PT. 

O encontro ocorreu nesta terça (13/11), em Porto Alegre.

Veja aqui a manifestação de Raul Pont no encontro.

Veja aqui o álbum de fotos.

O que vivemos, para onde vamos? - Avaliação da atual conjuntura do país por Raul Pont

Assista a fala do professor e ex-deputado estadual, Raul Pont, na plenária realizada por Sofia Cavedon, vereadora de Porto Alegre eleita Deputada Estadual pelo PT. 

O encontro ocorreu nesta terça (13/11), no Simpa.

Veja aqui a manifestação de Sofia Cavedon no encontro - Em breve o link.

Veja aqui o álbum de fotos.

Residentes da Escola de Saúde Pública denunciam atraso no repasse das bolsas de ensino

Foto Elisamar Rodrigues
A Comissão de Saúde e Meio Ambiente da Assembleia Legislativa do RS, recebeu, na manhã desta quarta-feira (14), durante reunião ordinária, um grupo de residentes da Escola de Saúde Pública, que estão sem receber os repasses do governo do Estado referentes às bolsas de ensino. São 164 estudantes que atuam com dedicação exclusiva de 60 horas semanais na Escola de Saúde Pública.

Conforme explicou Bia Borges, representando o grupo de mais de 15 jovens residentes em várias especialidades médicas, o atraso no pagamento ultrapassa duas semanas, “esta é a nossa única fonte de renda”, explicou. Eles recebem os repasses junto com os estagiários, no último dia do mês, mas nem a secretaria da Saúde nem a Fazenda confirmaram a atualização do pagamento. Sem previsão, o grupo solicitou apoio à comissão, uma vez que já recorreram ao Conselho Estadual de Saúde e à direção da Escola de Saúde Pública, sem sucesso.

A manifestação aconteceu durante o espaço de Assuntos Gerais da reunião ordinária, presidida pelo deputado Altemir Tortelli (PT).

Foto Guerreiro/Ag.ALRS
Sofia Cavedon,  vereadora  do PT e deputada estadual eleita, está acompanhando a demanda dos residentes, fazendo contatos com as autoridades de saúde e das finanças públicas, mas sem confirmação da liberação dos recursos. Ela destacou que os residentes atuam como profissionais tanto na Capital quanto na Região Metropolitana e outros municípios, sendo essa a única renda disponível para seu sustento.

Deputados reiteraram a necessidade de buscar junto ao governo uma previsão da data de repasse dos recursos. E esse foi o encaminhamento dado pelo presidente da comissão, Altemir Tortelli, que deverá acionar os agentes públicos da Saúde e buscando a confirmação do pagamento aos/às residentes.

Fonte: Portal da AL/RS