segunda-feira, 30 de setembro de 2019

Rede Estadual de Ensino - Enturmação e fechamento de turmas é contestada pela comunidade escolar

Foto Lupe Menezes
Nesta terça-feira,01, às 9h30, a Comissão de Educação da Assembleia Legislativa tratará do tema e receberá a Escola Técnica Estadual Parobé. No Plenarinho da AL - 3º andar.

Desde a semana que passou, quando a Secretaria Estadual de Educação do RS (Seduc), intensificou a ação junto às direções escolares do ensino médio para que realizem o fechamento de turmas e a enturmação, que a deputada Sofia Cavedon, presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa, não para de receber denúncias, apelos e de participar de reuniões em busca de uma solução junto à Seduc.

"O governo realiza essa ação, que chama de Aluno Presente, onde determina retirar das chamadas e cancelar as matrículas de alunos infrequentes com mais de 18 anos e, a partir desses números, tenta extinguir turmas e reenturmar alunos até de terceiro ano do Ensino Médio, ao invés de promover um programa de busca ativa e estímulo à presença e ao sucesso escolar", salienta a parlamentar.

Foto Lupe Menezes
Nesta segunda-feira, 30, Sofia esteve reunida com a 1ª Coordenadoria Regional de Ensino (CRE) de Porto Alegre, juntamente com a direção do Colégio Estadual Cândido José de Godoi, tratando da situação que atinge a escola. Durante a reunião alunos das escolas estaduais Cândido José de Godoi e do Colégio Irmão Pedro, ambas de Porto Alegre, manifestam-se contra a proposta da Secretaria. "Alunos, mães, pais, professores não querem a enturmação que desqualifica o processo de aprendizagem", destaca Sofia que defende a cooperação entre estado e municípios como alternativa.

Foto Aline Seixas
No domingo, 29, a deputada recebeu a mesma denuncia da Escola Estadual de Ensino Fundamental Don Matheus Pasquali, em Veranópolis. "O governo do Estado propôs a municipalização da escola, que vem discutindo com a comunidade através de  
audiências públicas", informa Sofia.

Outros estabelecimentos

Foto Marta Resinga
Mais quatro escolas já se manifestaram que estão vivendo a mesma situação. Em uma reunião de urgência a presidente da Comissão participou na sexta, 27, com a comunidade da Escola Técnica Estadual Parobé, que também reage  contra o fechamento de turmas e a enturmação.
O assunto também foi tratado na Comissão de Educação de terça-feira, 24, quando estiveram presentes, as escolas de Porto Alegre: Cândido José de Godoi e Léa Rosa Cechini Brum; de Tapes, Instituto Estadual Cel. Patrício Vieira Rodrigues; e de Guaíba, Escola Estadual de Ensino Fundamental Evaristo da Veiga.

Na Educação do Campo, escolas serão fechadas

Foto Cpers/Sindicato
O mesmo processo está atingindo a educação do campo. Na sexta-feira, 27, Sofia Cavedon recebeu na Comissão de Educação a direção do Cpers Sindicato e representações das dez escolas do campo pertencentes aos núcleos de São Luiz Gonzaga, Soledade, Santa Rosa e São Leopoldo, que entregaram um dossiê sobre o que está ocorrendo nas instituições, ameaçadas pela Seduc de fechar. 

Durante a reunião os educadores(as) relataram o que está ocorrendo em cada região. Muitas vezes sem ofício por escrito, a Coordenadoria Regional de Educação (CRE) comunica a direção das escolas sobre o fechamento, sem qualquer diálogo. Em todos os casos, a comunidade é contra o fechamento.

Sofia se comprometeu em ajudar a reverter a situação e fazer audiências nos municípios onde as escolas estão sendo atacadas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ao postar seu comentário, por favor, deixe seu contato para que possamos retornar. Obrigada.